Notícias

Agroecologia nas Eleições

Articulação Mineira de Agroecologia (AMA) apresenta carta-compromisso às candidatas e candidatos nas eleições municipais com propostas concretas de programas e políticas públicas pautadas pelo movimento agroecológico.

Articulação Mineira de Agroecologia (AMA) promove roda de conversa virtual com candidatas e candidatos nas eleições municipais.

Em vistas da realização das eleições municipais 2020, uma rede de entidades, coordenadas pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), lançou a campanha ‘Agroecologia nas Eleições’, no início desse mês outubro. Um esforço coletivo em todo o país para mapear políticas e programas municipais que apoiam a agroecologia e a agricultura familiar, promovem a segurança alimentar e nutricional e geram renda nos territórios.

Conheça AQUI os materiais e documentos da campanha “Agroecologia nas eleições”.

Em Minas Gerais, a Articulação Mineira de Agroecologia (AMA) promoveu, no dia 21 de outubro, uma roda de conversa virtual com candidatas e candidatos nas eleições com o objetivo de apresentar as propostas concretas de políticas públicas e programas pautadas pelo movimento agroecológico. Também participaram agricultoras e agricultores, pesquisadores e militantes da agroecologia no estado. De acordo com Anna Crystina Alvarenga, assessora da Cáritas Regional Minas Gerais e integrante da AMA, “o debate público também objetiva oportunizar aos eleitores conhecerem candidaturas que estão dispostas a se comprometer com propostas que verdadeiramente fazem diferença na vida das pessoas”.

Durante a reunião, a AMA apresentou uma carta-compromisso com propostas concretas de políticas públicas e programas do movimento agroecológico.

Durante a reunião, a Articulação Mineira de Agroecologia apresentou uma carta-compromisso com 36 propostas, organizadas em 13 campos temáticos, denominada ‘Agroecologia nas Eleições: Propostas de Políticas de Apoio à Agricultura Familiar e à Agroecologia e de Promoção da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional em Nosso Município’. “Nós queremos que as candidatas e candidatos se inspirem e se comprometam com essas pautas tão importantes e prioritárias para combater as desigualdades, promovendo a segurança alimentar e nutricional, a saúde, o cuidado com o meio ambiente, além de fonte de renda”, destacou Anna Crystina.

Acesse AQUI a carta-compromisso apresentada às candidatas e candidatos de Minas Gerais.

Elaborada a partir de um levantamento que identificou cerca de 700 exemplos de iniciativas de apoio ao setor em todo o país, o documento foi adaptado à realidade do estado de modo a convocar os candidatos a se comprometerem com as pautas apresentadas. Isso porque o levantamento mostra que muito pode ser feito através das Câmaras de Vereadoras e Vereadores.

Até agora, a AMA já reuniu 33 assinaturas de candidatos municipais de todo o estado e segue em mobilização buscando novas candidaturas dispostas a se comprometer com os programas e políticas que apoiam a agroecologia e a agricultura familiar, promovem a segurança alimentar e nutricional e geram renda nos territórios.

Sobre a Articulação Mineira de Agroecologia

A Articulação Mineira de Agroecologia (AMA) desde 2003 congrega movimentos sociais e organizações não governamentais de apoio e assessoria a entidades representativas de agricultoras (es) familiares que atuam nas diferentes regiões de Minas Gerais. Muitas destas organizações têm uma experiência de aproximadamente três décadas na implementação de serviços de assistência técnica e extensão rural, baseados nos princípios da agroecologia, na utilização de metodologias participativas, junto a famílias agricultoras e populações tradicionais diversas. Desde sua criação, a AMA tem sido um espaço estratégico de cooperação entre suas organizações componentes, promovendo intercâmbios de experiências e influenciando decisivamente na constituição e execução de políticas públicas para a agricultura familiar. A Cáritas Regional Minas Gerais integra a AMA junto a diversas organizações da sociedade civil de todo o estado.

Com informações do CTA-ZM (Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata Mineira) e da ANA (Articulação Nacional de Agroecologia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.