Notícias

Cáritas MG reza pelas vocações em agosto

“É preciso criar em toda a comunidade esse espírito orante para as vocações para que cada vez mais nesse mês vocacional seja aproveitado os momentos litúrgicos, de orações em grupos, de orações familiares”
 padre Elias Silva, coordenador nacional da Pastoral Vocacional

Em consonância com toda a Igreja do Brasil que convida para refletir e rezar pelas vocações neste mês, a equipe de mística e espiritualidade do secretariado regional da Cáritas em Minas Gerais realizou o Café Vocacional, momento importante de confraternização da equipe que possibilitou compreender as diferentes vocações na Igreja, além de pensar e refletir sobre o chamado de Deus, por meio do batismo. O batismo é a fonte de todas as vocações. A palavra vocação vem do latim “vocare” e quer dizer chamado, chamamento que supõe uma resposta. Neste sentido, Deus chama e o ser humano responde. A primeira e maior de todas as vocações é o chamado à vida. Todos são chamados. O próprio Jesus enfatiza isso quando diz: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”.

A partir deste convite foi realizado um mês “saboroso”, criativo, formativo, provocador e iluminador. Os encontros foram realizados às quartas-feiras do mês de agosto e aconteceram ao redor da mesa. Um delicioso Café Vocacional foi preparado carinhosamente pelos colaboradores dos diversos setores do escritório regional e a cada semana contamos com a presença de pessoas que compartilharam com a equipe sobre sua vocação. Na primeira semana, o padre Jaidson Martins Pereira, da diocese de Teófilo Otoni, falou sobre a vocação ao ministério ordenado e disse que para ele a vocação passa por profetismo e testemunho. “O sentido vocacional deve passar por essas duas palavras”, afirmou.

Na segunda semana, o casal Shaimene e Fabiano, leigos que vivem a espiritualidade Inaciana, compartilharam os desafios e as alegrias de viver e anunciar o evangelho de Deus por meio da vocação à vida matrimonial. Na terceira semana, irmã Solange e a aspirante Luíza, da Congregação Religiosa das Irmãs Dominicanas, e Silvana Gregório, do Instituto Secular Unitas, falaram sobre a vocação à vida consagrada. Para irmã Solange, a vocação tem que respeitar os direitos humanos: “quanto mais caminho, mais desejo chegar ao amor eterno, Jesus Cristo. Não mudei, só aprendi a amar mais”. Silvana afirmou que “vocação é dizer SIM! Dizer sim é comprometer com projeto de Deus e inserir nas diversas realidades da vida”.

Por fim, a vocação para os ministérios e serviços na comunidade foi animada por Ronilda Soares Lucas, que está como colaborada na Cáritas há 17 anos, e Marinete Morais, agente Cáritas e da Pastoral Afro. As duas motivaram a equipe no sentido de compreender que todos nós, homens e mulheres, são chamados à vida e, portanto, chamados a se colocarem a serviço da comunidade.

A partir desta motivação, pedimos ao Senhor da Messe e Pastor do Rebanho que nos chame para o serviço de teu povo e pedimos à Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, que nos ajude a responder: SIM.

Por Renata Siviero, assessora da Cáritas Regional Minas Gerais e integrante do GT de Mística do secretariado regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.