Notícias

Ciclo de debates aborda tragédias e instabilidade social provocadas pelos rompimentos de barragens em Minas Gerais

O evento conta com a participação de atingidos pela barragem de Fundão em Mariana e de agente da Cáritas Regional Minas Gerais, entre os dias 25 a 27 de março, na Faculdade de Direito da UFMG, em Belo Horizonte.

O evento, intitulado “(Des)Mineração: entre os danos e desafios pós-rompimento de barragens”, acontece de 25 a 27 de março, na Faculdade de Direito da UFMG. O objetivo é discutir a instabilidade das barragens enquanto fenômeno jurídico, social e sintomático de um problema maior: os impactos da mineração e da falta de regulação efetiva do setor.

A mesa de abertura conta com a participação de três atingidos pela barragem de Fundão em Mariana, Mauro Marcos da Silva, morador de Bento Rodrigues; Maria e Marino D´Ângelo, moradora de Paracatu de Cima; ao lado de Carolina de Moura, representante da Articulação Internacional dos Atingidos pela Vale (AIAV) e da Profa. Dra. Cláudia Mayorga, pró-reitora de Extensão da UFMG.

Entre os temas debatidos nos três dias de evento estão as “Políticas e práticas de assistência aos atingidos por barragens”. O assunto será abordado por Ana Paula Alves, representante da Assessoria Técnica da Cáritas Regional Minas Gerais aos atingidos de Mariana, ao lado do Dr. Edmundo Antônio Dias, do Ministério Público Federal e da psicóloga Maíra Almeida, referência do Conviver no atendimento aos atingidos de Mariana. Além deste tópico, serão debatidos também o papel da regulação no setor da mineração; a diversificação econômica nas cidades mineradoras; a segurança de barragens e licenciamento ambiental.

O ciclo de debates é organizado pelo Centro Acadêmico Afonso Pena, pela Clínica de Direitos Humanos e pelo Observatório para a Qualidade da Lei. No último dia do evento (27), às 16 horas, será exibido o documentário Mud Refugees (Refugiados da Lama), que retrata as histórias das pessoas atingidas pela lama tóxica liberada pelo colapso da barragem de Fundão. Por fim, às 18 horas, está prevista a “Audiência Pública da Câmara Municipal de Belo Horizonte – 60 dias de Brumadinho: impactos sobre a segurança hídrica de Belo Horizonte”.

Veja AQUI a programação completa.

Por Ellen Barros, comunicadora popular da Cáritas Regional Minas Gerais em Mariana.
Foto destaque: Joana Tavares, do Brasil de Fato MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.