Notícias

Denúncias das violações e dos impactos da mineração no Brasil ganham visibilidade na Europa

Dom Vicente Ferreira e frei Rodrigo Péret participam de diversas agendas internacionais, levando as denúncias dos atingidos pela mineração em Minas Gerais e partilhando as iniciativas em defesa da Ecologia Integral.

Dom Vicente e frei Rodrigo Peret se reúnem com cardeal Turkson e monsenhor Duffé, na Itália.

O bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte, dom Vicente Ferreira, e o frei franciscano integrante da Rede Igrejas e Mineração, frei Rodrigo Péret, levaram as denúncias dos atingidos pela mineração em Minas Gerais para a Europa, em viagem pela Itália, Áustria, Suíça, Bélgica e Alemanha. Entre os dias 27 de fevereiro a 11 de março, os dois religiosos participaram de debates, encontros e celebrações, concederam entrevistas a jornalistas e se reuniram com parlamentares nesses países para denunciar as violações do modelo de mineração no Brasil e partilhar as iniciativas de defesa da Ecologia Integral.

Dom Vicente Ferreira destacou que a agenda de incidência internacional se justifica a partir do fato de que tudo está interligado no mundo globalizado de hoje. “Não podemos continuar com um modelo que acumula lucros e deixa miséria, morte e destruição nos territórios”, afirmou durante sua passagem pela Alemanha. Bispo referencial da Região Episcopal Nossa Senhora do Rosário (Renser) com sede em Brumadinho, ele atendeu ao convite de organizações de defesa do meio ambiente, devido a coordenação do trabalho da Arquidiocese de Belo Horizonte no amparo às vítimas do rompimento barragem de rejeitos da mineração no Córrego do Feijão, no município de Brumadinho, em janeiro de 2019. “O que ocorreu em Brumadinho não é uma questão local. Vivemos o resultado de um sistema predatório de extrativismo”, disse dom Vicente.  

Para frei Rodrigo Péret a negligência e a falsidade ideológica estão no cerne do processo criminoso perpetrado pela Vale e pela empresa alemã TÜV SÜD, em Brumadinho. “A empresa Vale usou documentos falsos para obter licenças ambientais. Soma-se a isso o fato de que, conhecendo o risco, manteve as instalações administrativas, inclusive o refeitório, abaixo da barragem. Importante lembrar também que a Vale é reincidente neste tipo de crime, basta lembrar de Mariana, em 2015”, afirmou o frade franciscano em evento na Alemanha. Ele ressaltou ainda que estes crimes revelam características do modelo minerário, bem como os desafios relacionados ao acesso à justiça, a questão da impunidade e a falta de responsabilidade das empresas e do Estado brasileiro.

Denúncias sobre impactos e violações da mineração

Dom Vicente se encontra com o papa em missa na Casa Santa Marta, no Vaticano.

Um dos primeiros compromissos da viagem aconteceu no dia 28 de fevereiro, quando dom Vicente e frei Rodrigo participaram de missa celebrada pelo papa Francisco, na Casa Santa Marta, no Vaticano. Nesse dia, dom Vicente também concedeu entrevista coletiva à imprensa internacional e reuniu-se com a coordenação do Movimento Católico Global pelo Clima (MCGC), para reflexões e partilha sobre Ecologia Integral, Mineração e Igreja. No dia 29, dom Vicente e frei Rodrigo foram recebidos pelo prefeito e pelo secretário do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral, cardeal Peter Turkson e Monsenhor Bruno Marrie Duffé.

Saiba AQUI como foi a participação de dom Vicente e frei Rodrigo na missa celebrada pelo papa Francisco.

Dom Vicente denuncia os impactos e as violações da mineração no Brasil, durante a 43ª Sessão da Comissão de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, na Suíça.

Outro destaque na agenda foi a fala do bispo sobre o rompimento da barragem de rejeitos da Vale, em Brumadinho, na 43ª Sessão da Comissão de Direitos Humanos da ONU, no dia 3 de março. Na ocasião, dom Vicente destacou que embora o Brasil tenha sido listado no relatório da ONU como um exemplo de boas práticas, a realidade difere do que o país possui em sua legislação, particularmente, no acesso a informações ambientais. “As comunidades, geralmente, não são consultadas na concessão de licenças para megaprojetos ou essas licenças são concedidas sem seguir o procedimento legal”, afirmou.

Ao lembrar do rompimento das barragens de rejeitos da mineração em Mariana e Brumadinho, o bispo destacou que só em Minas Gerais existem pelo menos 40 barragens com risco de colapso e grande risco de possíveis danos. Ele também pediu que o governo brasileiro ratifique o Acordo de Escazú e forneça informações e consultas, bem como promova a participação das comunidades e da sociedade civil no processo de licenciamento de megaprojetos, principalmente, da mineração.

Saiba AQUI mais sobre o Acordo de Escazú e confira a íntegra da fala de dom Vicente na ONU.

Em Viena, na Áustria, dom Vicente participa de debate sobre as consequências do consumo de matéria-prima e os impactos desse modelo.

Na Áustria, dom Vicente e frei Rodrigo participaram de debate promovido pela Plataforma AG Rohstoffe, formada por oito ONGs que lutam por alternativas ao modelo extrativista predatório, no dia 4 de março. O bispo, juntamente com outros palestrantes internacionais, analisou as consequências do consumo de matérias-primas e os impactos desse modelo nos territórios.

No mesmo dia, ele e frei Rodrigo, juntamente com a organização católica DKA (Campanha de Epifania), participaram de reunião na Câmara de Comércio Austríaca, que representa mais de 517.000 empresas membros. As Câmaras de Comércio Austríacas são organizações das empresas do país, comprometidas com uma política orientada para o futuro e favorável aos negócios. As conversas giraram em torno das violações de direitos humanos por parte de empresas e dos impactos ambientais.

Veja AQUI como foi a fala de dom Vicente no debate promovido pela Plataforma AG Rohstoffe.

Nos últimos dias da agenda internacional, dom Vicente e frei Rodrigo debateram o crime da Vale e da empresa alemã  TÜV SÜD, em Brumadinho, em um evento promovido pela Sociedade Alemã – Brasileira (Deutsch-Brasilianische Gesellschaft), no Ministério das Relações Exteriores da Alemanha (Auswärtiges Amt), em Berlim, no dia 9 de março. Essa atividade contou com o apoio e articulação da Misereor, organização católica de solidariedade e ajuda humanitária.

Leia AQUI mais informações sobre o debate com a participação de dom Vicente e frei Rodrigo no Ministério das Relações Exteriores da Alemanha.

Agenda de incidência internacional

Dom Vicente e frei Rodrigo participam de evento sobre impactos da mineração e acompanhamento dos atingidos por parte da Igreja, em Roma.

A agenda na Europa surgiu a partir da Comissão Especial sobre Mineração e Ecologia Integral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em parceria com a Rede Igrejas e Mineração, articulação que congrega comunidades cristãs e organizações da Igreja Católica buscando responder aos desafios dos impactos e violações dos direitos socioambientais provocados pela mineração nas Américas do Sul, Central e do Norte. Em Minas Gerais, a Cáritas compõe a Rede Igrejas e Mineração junto a outras entidades e pastorais sociais da Igreja.

A inciativa da incidência internacional contou com o apoio das organizações Franziskaner Mission, Franciscans International, CIDSE, DKA, Adveniat e Misereor.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.