Notícias

População em situação de rua dá show de bola

Copa de Futebol de Salão da População em Situação de Rua de Belo Horizonte é marcada por exemplos de luta por cidadania, inclusão e garantia de direitos.

Os usuários dos serviços para as pessoas em situação de rua deram um show de bola no último sábado (28), no Abrigo Pompeia, em Belo Horizonte. E não foi só porque eles mostraram todo seu futebol-arte na Copa de Futebol de Salão da População em Situação de Rua, mas principalmente pelo exemplo de cidadania, inclusão e espírito esportivo que marcou presença no torneio.

Formados por pessoas em situação de rua, trabalhadores dos serviços da Assistência Social e agentes da Cáritas Brasileira Regional Minas Gerais, 3 times participaram da Copa, sendo eles: Loucos pela Arte Futebol Clube, do Abrigo Granja de Freitas; Pernas de Pau Futebol Clube, do Centro Pop Centro Sul; e Pompeia Futebol Clube, do Abrigo Pompeia. O campeonato, que está em sua segunda edição, é organizado pela Cáritas Minas Gerais, em parceria com a subsecretaria de Assistência Social da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte.

“Esse campeonato tem vários significados. Não pensamos nele só como uma competição, mas como um processo de superação”, afirmou Mirtes Pereira, coordenadora do Abrigo Pompeia. Mirtes explica que todos os envolvidos no torneio, tanto as famílias quanto os jogadores e a torcida, já encararam muitos jogos na vida e que a Copa é um momento de confraternização e partilha. “Temos dois times dentro de quadra que são adversários, mas fora dela lutam pela mesma coisa: garantia de direitos, direito à moradia, direito à dignidade humana, direito a uma vida mais digna”, ressalta.

Para o assistente social do Abrigo Pompeia, Fábio Junior Fagundes, a Copa de Futebol é um momento em que a população em situação de rua está confraternizando e, ao mesmo tempo, exercitando a cidadania e desenvolvendo a autoestima. Ele conta que as pessoas com trajetória de rua têm muitas vulnerabilidades sociais, enfrentando uma sociedade preconceituosa e uma economia excludente. “Quando encaminhamos um usuário para o mercado de trabalho e, na entrevista, o empregador vê que seu endereço é de um abrigo, automaticamente essa pessoa é excluída”, denuncia Fábio.

Após um dia de jogos disputados, o terceiro lugar ficou com o time Loucos pela Arte Futebol Clube, do Abrigo Granja de Freitas e o segundo com o time Pernas de Pau Futebol Clube, do Centro Pop Centro Sul. O Pompeia Futebol Clube, do Abrigo Pompeia, levou o bicampeonato, animando a torcida e as famílias que moram no abrigo. Entre os destaques do campeonato, a organização premiou o artilheiro Vitor Hugo Silva, do Pompeia Futebol Clube, o melhor goleiro Juliano Inácio, do Pernas de Pau Futebol Clube, e o jogador destaque Alexandre Augusto Pereira, do Pernas de Pau Futebol Clube.

Morador do Abrigo Pompeia há 6 meses, Fernando dos Santos comemorou a vitória. “Estamos muito felizes, porque montamos o time rápido e muitos desacreditaram e acharam que não íamos ganhar, mas conseguimos trazer a taça para o Pompeia de novo”, festejou. Fernando, que vive no Abrigo com a esposa e duas filhas, uma de 1 mês e a outra de 2 anos, conta que no próximo torneio vai participar novamente, buscando o tricampeonato. “Achei muito bom porque as crianças brincaram, curtiram e foi felicidade pra todo mundo”, disse.

Veja AQUI mais fotos da Copa de Futebol de Salão da População em Situação de Rua de Belo Horizonte.

Solidariedade que transforma

Buscando contrapor a todos os sinais de violência contra a pessoa humana, a Cáritas combate à pobreza desumanizante que priva as pessoas de sua dignidade. Para a Cáritas, as pessoas em situação de vulnerabilidade, risco ou exclusão social trazem o potencial transformador dentro de si e, quando motivadas, tornam-se protagonistas de sua própria transformação e da construção de um novo projeto de sociedade.

Partindo dessa reflexão, a coordenadora do Abrigo Pompeia acredita que a Copa de Futebol de Salão da População em Situação de Rua de Belo Horizonte é uma atividade que vai muito além do incentivo à prática do futebol. Ela afirma que o torneio é uma oportunidade de mostrar para essas pessoas que elas podem participar da transformação das suas próprias vidas, de ter moradia, dignidade, seus direitos e suas vidas de volta. “A felicidade de poder fazer parte, de usar um uniforme, isso faz a diferença na vida dessas pessoas. Talvez a gente não consiga ver o tamanho dessa diferença, mas para eles essa é uma oportunidade de dizer: ‘eu existo! Estou aqui, não sou invisível e sou capaz’”, destacou Mirtes.

Em Belo Horizonte, a Cáritas Regional Minas Gerais tem atuado em serviços especializados para pessoas em situação de rua a partir de uma perspectiva de reconhecimento dos direitos de cidadania destas pessoas que, por razões diversas, utilizam as ruas como espaço para moradia e sobrevivência. Em parceria com a subsecretaria de Assistência Social do município, a Cáritas executa os serviços: Centros de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro POP) Leste e Centro-Sul, Abrigo Pompeia, Abrigo Granja de Freitas e Abrigo Maria Maria. Ao todo, cerca de 600 pessoas são atendidas nesses serviços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.