Notícias

Resistência é a marca do Dia Nacional da Luta Antimanicomial

Nesta sexta-feira (17), a escola de samba Liberdade Ainda Que Tam Tam anima a luta antimanicomial com seu desfile pelas ruas de Belo Horizonte.

“Direitos às diversas gentes: de mãos dadas contracorrentes” é o tema do desfile da escola de samba Liberdade Ainda Que Tam Tam, que marcará o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, nesta sexta-feira (17), em Belo Horizonte. A manifestação tem concentração a partir das 14h, na Praça da Liberdade, e saída às 15h, com dispersão na Praça da Estação.

Inspirado na palavra de ordem que viralizou logo após as eleições de 2018 – “Ninguém solta a mão de ninguém”, o tema propõe a resistência conjunta dos negros, mulheres, índios, sem terra, sem teto, usuários de drogas, loucos, LGBTQI, ativistas, enfim, das populações que têm sido alvo do ódio e da intolerância na atual conjuntura política.

O desfile também chama a atenção para os graves retrocessos na Política Nacional de Saúde Mental, com a publicação da Nota Técnica nº 11/2019 do Ministério da Saúde, que propõe o retorno dos hospitais psiquiátricos, do eletrochoque, o fim da política de redução de danos e o aumento do financiamento das comunidades terapêuticas, ou seja, na contramão da Reforma Psiquiátrica e dos Direitos Humanos.

Os nomes de Marielle Franco, Dandara e Zumbi marcam o samba enredo de 2019, criado pelos usuários do Centro de Convivência Oeste. Com o título “A Revolução é preta e virá pelo Ventre”, o samba entoa a valorização dos povos ancestrais no Brasil e sua luta pela resistência. Ao todo, cinco alas compõem o desfile-manifestação.

Ouça AQUI o samba enredo que vai animar o Dia Nacional da Luta Antimanicomial em Belo Horizonte e Região Metropolitana.

Desfile

Realizado pelo Fórum Mineiro de Saúde Mental e pela Associação dos Usuários dos Serviços de Saúde Mental de Minas Gerais (ASUSSAM), o ato político e cultural é uma estratégia do movimento antimanicomial de Minas Gerais, que há 22 anos realiza a manifestação no dia 18 de Maio com o formato de um desfile de carnaval pelas ruas da capital mineira. O ato conta com a participação de usuários da rede de saúde mental, seus familiares, trabalhadores e simpatizantes da luta antimanicomial, além da presença dos serviços substitutivos de diversos municípios mineiros. A escola de samba Liberdade Ainda que Tam Tam traz os seguintes temas em suas alas:

1ª ALA: LIBERDADE, LIBERDADE, NÃO VOLTEMOS AOS PORÕES!

2ª ALA: NÓS TEMOS UM SONHO: TERRA, TETO E TANTÃS.

3ª ALA: SOU CUNHATÃ, SOU CURUMIM, CUIDA SEMPRE DE MIM!

4ª ALA: BOTA A CARA NO SOL, RESPEITA QUEM SOU!

5ª ALA: TIRA SEU RETROCESSO DO CAMINHO, QUE VOU PASSAR COM A REVOLUÇÃO.

Conheça AQUI o texto com as reivindicações para o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, elaborado pelo Fórum Mineiro de Saúde Mental e pela ASUSSAM.

O Dezoito de Maio

A data foi proposta no II Congresso Nacional de Trabalhadores da Saúde Mental, realizado na cidade de Bauru (SP), em 1987. No evento, foi criado o Movimento Nacional da Luta Antimanciomial e lançado o manifesto público intitulado “Por Uma Sociedade Sem Manicômios”. Desde então, a data é marcada por manifestações em inúmeros municípios brasileiros, que ocupam as ruas das cidades, convocando a população e participar e testemunhar como é terapêutica a liberdade!

Acompanhe AQUI as informações do Fórum Mineiro de Saúde Mental e da luta antimanicomial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

.